agosto 31, 2021 Uncategorized

As lentes de contato dentais – ou facetas – ficaram populares entre as celebridades nas redes sociais, em busca de um padrão estético do sorriso. Vamos entender quais são essas indicações e porque esse pode ser um tratamento indicado para você?
As lentes de contato são lâminas ultrafinas, com 1 mm de espessura ou menos, confeccionadas em cerâmica. São aderidas aos dentes para que se possa alterar forma, contorno, proporção e cor. Embora atualmente populares, as lentes existem há mais de 25 anos. São indicadas nos seguintes casos:

Para fechamentos de diastemas – espaçamento entre os dentes;
Alterações na forma dos dentes;
Estabelecimento de proporção adequada entre altura e largura, especialmente para dentes muito pequenos ou conoides;
Dentes muito escuros.
Vale lembrar que o tratamento com facetas é indicado após a constatação de que os dentes e gengivas estejam saudáveis! As lentes são indicadas quando a questão estética não pode ser resolvida com outros tratamentos, como clareamento dental ou ortodontia, por exemplo. Outro ponto importante é que, apesar de haver grande propaganda sobre estes tratamentos serem feitos sem desgaste, isso só ocorre na minoria dos casos. Por isso é extremamente relevante que seja feita uma avaliação com o um dentista especializado.



julho 30, 2021 Uncategorized

A preocupação estética com o sorriso vem crescendo bastante nas redes sociais, com o aumento da divulgação de serviços nas redes sociais. Uma expressão atraente e saudável é capaz de rejuvenescer, melhorar a autoestima e prolongar a saúde do paciente.
Vamos entender tudo que compõe a beleza do sorriso?
O posicionamento e alinhamento dos dentes são fundamentais para a saúde e estética bucal, assim como evitar o desgaste dos dentes, manter a sustentação dos lábios e outros sinais de expressão ao redor da boca.
As alterações no sorriso podem ser causadas por diferentes fatores como a cárie, escurecimento dental, envelhecimento, bruxismo, erosão química e má-oclusão, proporcionando desequilíbrio na estética dentofacial. Alguns tratamentos podem proporcionar melhoras.
Dentre as opções possíveis para restabelecer o resultado estético funcional está o uso de facetas — que fazem o recobrimento do esmalte dental por um material restaurador que se assemelha à aparência natural dos dentes. São uma maneira simples de solucionar vários problemas dentários, deixando o sorriso mais harmônico e agradável.
Outro procedimento interessante, realizado pelo periodontista, é a gengivoplastia, também conhecida como Plástica Gengival. Normalmente realizada em casos de não alinhamento ou falta de harmonia na proporção entre os dentes e a gengiva. Pode apresentar objetivos funcionais e/ou estéticos para a saúde bucal.
Os alinhadores ortodônticos podem ser usados para corrigir problemas como diastema (dentes separados), sobremordida, mordida aberta, dentes apinhados, prognatismo, mordida cruzada e outros. É necessário sempre uma avaliação cuidadosa e um diagnóstico correto, a fim de saber se é realmente indicado para você. Por causa dos ajustes que são feitos em cada alinhador, o tratamento completo pode ser até 50% mais rápido do que os métodos convencionais!
Já a cirurgia ortognática consiste em alterar a posição do maxilar, de forma a criar mais harmonia facial e aprimorar a aparência do paciente. Esse tipo de procedimento é indicado para pessoas que não apresentam harmonia entre os maxilares (superior e inferior), resultando em prejuízos funcionais e estéticos — as chamadas deformidades dentofaciais. Assim como nos outros procedimentos, a avaliação de um ortodontista e de um cirurgião maxilofacial é fundamental para indicar a necessidade da cirurgia para a reabilitação funcional das bases ósseas da face.
Com a cirurgia, é possível reposicionar os maxilares, criando uma melhor condição para a oclusão do paciente. Além disso, o procedimento também garante mais proporcionalidade ao rosto, melhorando a autoestima e a autoconfiança.
E com todas essas opções de tratamento, você pode sim, mudar o que mais te incomoda e tornar o seu sorriso único.



julho 7, 2021 Uncategorized

Post.png

O Clareamento Dental é um dos procedimentos mais procurados hoje em dia por pessoas de diferentes idades, em função da sua eficácia e rapidez.
Pode ser realizado por várias técnicas: a caseira, a de consultório e a combinada – quando o dentista sugere ambas as técnicas, dependendo das necessidades de cada um. Dependendo do resultado e da satisfação do paciente, a técnica indicada inicialmente pode ser mudada ao longo do tratamento!

Quando realizado no consultório, geralmente é feito com luz led violeta – ao contrário do que muitos pensam. O termo “Clareamento a Laser” é o termo popular utilizado de forma errônea. Aqui no Brasil, não existe um equipamento de Laser que faz clareamento, apenas os de LED.

Qual a diferença entre Lasers e LEDS?
A luz laser é monocromática e segue uma única direção, enquanto a Led é policromática e perde sua intensidade quando é afastada do tecido. Além disso, elas também apresentam comprimentos de onda diferentes que promoverão efeitos diferentes.

A luz LED acelera a quebra dos pigmentos escurecidos dos dentes, quando associada ao gel de peróxido de hidrogênio, e por isso promove mais conforto e o efeito branqueador desejado! O número de sessões dependerá da cor, do tipo de pigmentação presente nos dentes e do resultado esperado.

Vou ter sensibilidade nos dentes?
O Laser de baixa potência é muito eficaz nos casos de hipersensibilidade dentinária – antes e/ou depois do tratamento. Após cada sessão de clareamento, a laserterapia pode ser indicada para prevenir ou controlar essa sensibilidade, se for o caso!

Preciso mudar algum hábito alimentar para realizar o tratamento?
Nenhum! Não é proibido fumar, ingerir alimentos avermelhados (como a beterraba) ou mesmo bebidas como o café, vinho e refrigerantes. Ufa!

Aqui na Innovara utilizamos a Luz LED violeta para acelerar o processo de clareamento dos dentes, proporcionando mais conforto e menor sensibilidade aos pacientes.
Se você ficou com alguma dúvida ou quer começar logo o seu tratamento, agende uma avaliação!



julho 2, 2021 Uncategorized

Blog.png

 

Uma boa higiene bucal oral é primordial para a manutenção da saúde do corpo todo! É cientificamente comprovado que as doenças periodontais não estão relacionadas apenas com a saúde bucal, mas também a diversas outras doenças, como: as cardiovasculares, renais, artrite reumatoide, obesidade, diabetes, parto prematuro e até o nascimento de bebês de baixo peso.

A periodontia tem papel fundamental na manutenção dos tecidos de suporte dos dentes – são eles a gengiva, o cemento, o ligamento periodontal e o osso. Além disso, atua na prevenção e no tratamento das doenças gengivite e periodontite (caso mais grave).
Mas como exatamente as doenças periodontais podem desencadear outras doenças?

Diabetes:
Estudos epidemiológicos mostraram que pacientes diabéticos apresentam maior risco de desenvolver periodontite severa, quando comparados aos não diabéticos e que a periodontite aumenta o risco de um pobre controle glicêmico em diabéticos, bem como o aumento de possíveis complicações decorrentes da doença.

Doenças Cardiovasculares:
O impacto da Periodontite na doença cardiovascular aterosclerótica é biologicamente plausível e o deslocamento da microbiota oral pela circulação sanguínea, parece induzir uma inflamação sistêmica que influenciará na patogênese da aterosclerose.
O tratamento periodontal ajuda a reduzir a inflamação sistêmica através da redução dos níveis de marcadores inflamatórios, com melhora significativa da condição clínica.

Complicações na Gestação:
O aumento brusco de hormônios femininos durante a gestação pode exacerbar a inflamação gengival com a presença de biofilme (placa bacteriana) na superfície dos dentes.
Pesquisas mostram a associação existente entre a periodontite e a saúde geral da mãe e do seu bebê, podendo gerar resultados adversos na gravidez, como parto prematuro, bebês de baixo peso ao nascimento e pré-eclâmpsia. Por isso, é fundamental que a gestante faça o pré-natal odontológico.

A prevenção ainda é a melhor maneira de evitar todo e qualquer problema de saúde. Por isso, é necessário escovar os dentes adequadamente, manter hábitos saudáveis e consultas regulares ao dentista!



junho 25, 2021 Uncategorized

 

Famoso por ser discreto, confortável e prático, o aparelho invisível se tornou muito popular nos últimos tempos! Você já deve ter ouvido falar sobre o Invisalign, certo?
Os alinhadores invisíveis são feitos sob medida através de um escaneamento digital. Podem ser usados por pacientes de diferentes idades!

Uma dúvida recorrente aqui na clínica é: “as crianças podem usar também?”
A alternativa para os clássicos aparelhos ortodônticos pode sim ser usada pelos pequenos. É um modelo criado especialmente para a dentição mista, chamado Invisalign First.
Esse aparelho pode ajudar no desenvolvimento da arcada dentária das crianças com conforto, pois corrige a posição dos dentes de maneira muito mais rápida e assertiva. Isso porque possui as mesmas vantagens do aparelho invisível para adultos, mas é feito especialmente para a fase de dentição mista, aquela em que os pequenos já têm dentes permanentes, mas ainda tem alguns dentes de leite também.

O tratamento é iniciado na fase 1, onde as crianças ainda possuem dentes de leite – entre 6 e 10 anos. Esse aparelho – como é popularmente conhecido – foi criado para trazer resultados previsíveis e proporcionar uma experiência positiva, já que é visualmente discreto e prático.
O tratamento com o Invisalign First atende às necessidades exclusivas das crianças em crescimento. Nesta fase, os ortodontistas conseguem identificar características que necessitam de tratamento precoce, evitando problemas de desenvolvimento no futuro.

Algumas das vantagens desse tipo de aparelho são:
– tratamento de uma quantidade expressiva de problemas ortodônticos infantis, de casos simples aos mais complexos;
– facilitam a higiene dos dentes por serem removíveis;
– proporcionam conforto ao longo do tratamento.
– menor tempo de tratamento.
– mais estéticos

Para entender qual é a idade indicada para uso e como funcionará o método, o paciente deve ser orientado por um ortodontista, que irá avaliar não apenas a necessidade, mas como será feito o tratamento.
O mais interessante é que toda a família pode usar juntos o invisalign, estimulando as crianças.
Mamães e papais: Não acham que é uma boa hora para corrigir os seus dentes e transformar seu sorriso também? Pense nisso!



junho 16, 2021 Uncategorized

Você sabia que temos no Brasil próteses gratuitas para pacientes oncológicos?

Acompanhe essa notícia que alegra a vida de muitos! Foi inaugurado no Hospital Angelina Caron (HAC) o laboratório de próteses bucomaxilofaciais – que será responsável por produzir próteses gratuitas para pacientes oncológicos.

“O laboratório possui equipamentos para criação de próteses faciais (nariz, orelha, pálpebra), próteses obturadoras de palato e velo faríngeas para pacientes que sofreram mutilações devido ao câncer. Elas ajudam a amenizar os traumas e melhorar a autoestima do paciente, pois não é fácil conviver normalmente em sociedade após essa mutilação. É um grande diferencial do Hospital Angelina Caron, com atendimento gratuito aos pacientes oncológicos do SUS operados por nossa equipe”, explica a cirurgiã dentista Karin Barczyszyn, especialista em Oncologia e coordenadora do laboratório.

Hoje temos no Brasil pouquíssimos hospitais com essa iniciativa que envolve tecnologia da engenharia! A equipe, em parceria com a Universidade Tecnológica Federal do Paraná desenvolveu um método para a criação das próteses que usa digitalização e modelagem no computador – de acordo com cada caso – ou seja, próteses únicas.

“Começa com a geometria do paciente. O molde é feito após a validação da geometria do nariz, com silicone médico no laboratório. Também estamos utilizando um molde feito em resina, de forma que não haja reação ou interação com outros materiais”, relata.
É inspirador e emocionante saber que estamos dando mais um passo importante na direção da recuperação da vida e auto estima de pacientes oncológicos atendidos pelo SUS. Iniciativa louvável!

Compartilhe esse post com quem também precisa de uma boa notícia hoje!

Fonte: segs.com.br



junho 9, 2021 Uncategorized

Pode ser que você não saiba, mas as pessoas portadoras de Síndrome de Down possuem características específicas da arcada dentária e saúde bucal. Por isso, é essencial que o odontopediatra faça parte da equipe interdisciplinar que irá acompanhar a criança durante todo seu desenvolvimento.

Vamos começar abordando a cárie dentária em crianças com Trissomia do 21 (T21). A incidência da cárie em crianças T21 é menor do que nas demais crianças. Isso acontece por algumas razões. As 2 principais são:

A agenesia característica da síndrome – isto é, a falta de alguns dentes – propicia que a remoção de parte de placa bacteriana seja feita pela própria saliva do paciente, reduzindo as chances do aparecimento de cárie.
Outra possibilidade é a composição salivar das crianças com SD. A saliva nesses casos é desfavorável ao desenvolvimento de placa bacteriana cariogênica.

De qualquer forma, independente dessas características, a cárie ainda é frequente em crianças. Nas que possuem a síndrome, muitas vezes quando notamos a cárie, já está avançada. Isso porque as crianças têm dificuldade de comunicar que estão sentindo dor e também pela dificuldade de visualização dos pais.

É por isso que as visitas regulares ao odontopediatra são mandatórias! Dessa forma é possível prevenir a cárie com orientações de higiene e boa alimentação ou, tratá-la em seu estágio inicial.

O mesmo acontece na doença periodontal que, nada mais é do que uma inflamação que começa na gengiva e pode atingir os ossos que dão suporte aos dentes. Essa doença é causada por bactérias específicas e depende muito de uma boa higiene bucal e da resposta imune do paciente!

Os primeiros sinais são o sangramento e vermelhidão da gengiva. Através de alguns estudos sabemos que a doença periodontal é mais comum em crianças com síndrome de Down e pode ser mais grave se comparado a crianças sem a síndrome. As razões para isso podem ser diversas, mas a mais provável é a deficiência imunológica, característica da síndrome de Down.

Outra característica particular nos pacientes com SD é a má oclusão – uma alteração no posicionamento dos dentes e na relação entre a arcada superior e a inferior.

Essas alterações implicam em algumas consequências que podem ser a mordida cruzada, mordida aberta anterior (quando os dentes de cima e de baixo não se conectam – dando a impressão de que a boca está aberta), tendência ao perfil classe 3 (quando temos a impressão de que o maxilar é “para frente”) e outras.

Mas se esse é o caso do seu filho, não se preocupe, as má oclusões têm tratamento! O diagnóstico precoce evita problemas futuros como alterações na fala, dificuldade de deglutir, respirar ou até mesmo na estética da criança.

Por isso é tão importante que as crianças com SD façam desde cedo a visita ao odontopediatra, para que o tratamento das má oclusões possa ter início nos primeiros estágios e que a prevenção das doenças bucais se faça presente. Assim, aumenta a garantia de sucesso.

Lembrando que o tratamento será planejado levando em conta as características do paciente, com uma abordagem multiprofissional e com foco na qualidade de vida da criança.



junho 7, 2021 Uncategorized

Post.png

Um dos objetivos do tratamento odontológico, além de proporcionar melhor qualidade de vida, é gerar um impacto positivo na autoestima e na confiança do paciente.
Muitas vezes, por maus hábitos de higiene bucal – como falta de escovação e do fio dental, além do tempo longo sem ir ao dentista, pode ocorrer a perda de um ou mais dentes.
O implante dentário é uma solução para substituir esses dentes perdidos por cáries, doenças gengivais, traumas e outros problemas. Permite restituir as funções dos dentes naturais, melhorando a mastigação, a fala e a estética do sorriso, contribuindo para a autoestima do paciente.
Apesar de ser um recurso muito interessante, assim como outros procedimentos cirúrgicos, o implante tem restrições. Após o processo de osseointegração, os implantes não mudam de posição. Por isso, crianças e jovens que ainda não completaram o crescimento ósseo, não têm indicação para esse procedimento.
Uma vez feita a cirurgia de implante dentário, é importante que o paciente siga alguns cuidados para que o implante osseointegre e possa logo receber uma coroa definitiva.

Preparamos um checklist de 5 passos para o cuidado com o implante, a seguir:
1. Escova de dentes interdental: após a escovação com escovas comuns, a interdental garante a remoção de restos alimentares e placa bacteriana entre os dentes complementando a escovação.

  1. Fio dental (Super Floss ou passa-fio) : mais indicado para quem tem aparelho ortodôntico e pontes fixas, além do fio dental comum em todos os dentes e implantes.
  2. Enxaguante bucal: é utilizado como medida complementar à escovação, realizando o controle químico do biofilme (placa bacteriana)dental.
  3. Receber orientação de um especialista para uso da melhor técnica de escovação e do fio dental.
  4. Fazer a cada 3/4 meses a manutenção periodontal e peri-implantar ou de acordo com o risco individual de cada um.


maio 26, 2021 Uncategorized

 

Essa é a especialidade que trata e previne as doenças periodontais, ou seja, aquelas que afetam os tecidos que suportam e circundam os dentes. Dependendo da sua forma, podem levar à perda do dente e afetar o resto do corpo. As formas mais comuns são a gengivite e a periodontite.

A gengivite é a inflamação mais superficial da gengiva que, quando não tratada corretamente, pode evoluir para a periodontite, forma irreversível da doença. A inflamação mais profunda da gengiva e de outros tecidos de suporte dos dentes, como o osso, pode levar à perda do dente e afetar a saúde geral com o aumento do risco para doenças cardiovasculares, doença renal crônica, diabetes, artrite reumatoide, dentre outras.

Alguns pacientes estão mais propensos ao desenvolvimento das doenças periodontais, são eles: fumantes, mulheres gestantes e na menopausa, pacientes com determinadas doenças sistêmicas, diabéticos e adolescentes. Além de outros fatores como pobre higiene bucal, estresse, condições médicas e uso de medicações.

A gengiva saudável previne não só o aparecimento dessas, mas como de outras doenças. Por isso, ao primeiro sinal, é essencial consultar seu dentista.

E quais seriam os sinais e sintomas?
O sinal mais comum é o sangramento – seja na hora da escovação ou à sondagem pelo dentista. Além disso, o mau hálito, a presença de pus entre a gengiva e o dente e mobilidade nos dentes podem ser considerados indicativos.

Depois de feito o diagnóstico da doença, o periodontista deve optar pelo melhor tratamento e bem-estar do paciente. O mais convencional é a raspagem e o alisamento radicular para a remoção do biofilme – conhecido como placa bacteriana – aderido à superfície dos dentes.
Nos casos mais graves, são indicados procedimentos cirúrgicos que controlam a inflamação e regeneram os tecidos danificados pela doença.
A terapia Fotodinâmica (PDT) associada aos tratamentos tradicionais pode colaborar no controle da infecção e reparo dos tecidos periodontais.



maio 18, 2021 Uncategorized

Existem alguns fatores chave para que essa condição se manifeste. Dois dos principais motivos são:
– o uso de medicamentos anti-reabsortivos como os bisfosfonatos e o denosumabe – utilizados no tratamento da osteoporose e de algumas doenças oncológicas.

E em osteorradionecrose?
– Se o paciente fez radioterapia na região de cabeça e pescoço, a doença denomina-se osteorradionecrose.

Ambas as doenças parecem ser causadas por uma pobre vascularização do tecido ósseo, gerando a necrose e muitas vezes a exposição do osso.

Mas como saber se você tem propensão a desenvolver essa doença?
Os fatores de risco mais importantes são:
– Estar usando um dos medicamentos citados acima e/ ou estar fazendo ou ter passado por radioterapia na região de cabeça e pescoço.
– presença de doenças bucais (periodontais, periapicais)
– má higiene bucal
– traumatismos causados por próteses;
– remoção de dentes ou outras intervenções cirúrgicas
– diabetes.

Os sinais e sintomas mais comuns são:

-osso exposto em alguma região da boca
-presença de fístulas intra ou extra orais que não cicatrizam, presentes por mais de 8 semanas.

Fique atento!

Precisamos lembrar que, assim como nas outras doenças, o diagnóstico precoce é fundamental para que seja feito um tratamento menos invasivo e que o paciente tenha mais qualidade de vida.

Nas fases iniciais da doença, geralmente a abordagem é mais conservadora. Isso quer dizer que é feito apenas o controle clínico e radiográfico frequente e o uso de antibióticos ou terapia fotodinâmica e laserterapia. Ambos auxiliam no controle de infecções e aceleram o processo de reparação das lesões.

Como sempre frisamos por aqui, medidas preventivas e acompanhamento adequado são essenciais para a escolha do melhor tratamento! Por isso, não deixe de lado a visita ao consultório e sempre sinalize qualquer sintoma fora do comum ao seu dentista.

Se você gostou de saber mais sobre a osteonecrose compartilhe com quem você acha que vai se beneficiar com essa informação!

#clinicaodontológica #innovara #innovarakids #odontologiamoderna #dratatianafranco



Resp. Técnica: Dra. Tatiana Franco
CRO RJ 21630 | EPAO 369


Av. Armando Lombardi, 1000

Bl. 01 – Sls. 216 e 217
Barra Life Medical Center
Barra da Tijuca – CEP 22640-000
Rio de Janeiro-RJ


(21) 2486 3932 | 2143 0898
(21) 99965 0372

Não aceitamos Convênios


Fique por dentro das novidades da INNOVARA e cadastre-se agora!



Site desenvolvido por Agência Vulpix

WhatsApp chat