artigo-laserterapia-1200x1200.png

março 14, 2018 Laserterapia

A terapia com laser de baixa potencia (TLBP) tem acumulado, nas últimas décadas, evidências científicas importantes sobre os efeitos e aplicações nas diversas áreas médicas e especialmente na Odontologia.

Podemos encontrar estudos há mais de 30 anos e já é uma realidade em nosso dia-a-dia clínico. A falta de formação e conhecimento nesta atraente área do Laser, mostra alguns profissionais  se negando a utilizá-lo, baseado em preconceitos e não em evidências científicas.

Entender qual efeito a Luz Laser causa nos diferentes tecidos biológicos nas diversas áreas da odontologia, como por exemplo na periodontia, estomatologia, ortodontia, dentística e explorar  as bases celulares e moleculares desses efeitos, é o que a literatura vem demonstrando ao longo do tempo.

Atualmente, a grande questão é, não só entender os benefícios e limitações desta terapia como coadjuvante na clínica odontológica, mas também utilizá-la como excelente ferramenta à disposição para oferecer um melhor cuidado aos nossos pacientes.

O desenvolvimento das pesquisas do laser em odontologia, encontrou uma importante aplicação do laser de baixa potência em pacientes submetidos à quimioterapia, tanto de forma preventiva, como para alívio da dor decorrente desse tipo de tratamento e tem sido cada vez mais incorporada na área médica, trazendo importante melhora na qualidade de vida do paciente oncológico.

A Laserterapia apresenta uma série de mecanismos de ação para controle da dor, modulação do processo inflamatório e reparo, envolvendo o aumento da microcirculação local, angiogênese, vasodilatação, inibição de mediadores inflamatórios, ativação das células de defesa, efeitos antioxidantes e aceleração da cicatrização.

Devido a esses importantes efeitos, o uso do laser em cirurgias periodontais e de implantes, pode trazer benefícios adicionais ao paciente na obtenção de um pós-operatório mais confortável  e ótimos resultados. No caso da mucosite oral, decorrente da quimio e/ ou radioterapia de cabeça e pescoço, já é mais do que sabida a melhora da qualidade de vida do paciente.

Diante de todas as evidências científicas apresentadas na literatura e da possibilidade de evidenciar na minha clínica diária os resultados da laserterapia em cada paciente que busca ajuda, me torna uma profissional melhor, acreditando sim, que é possível, através de um simples aparelho que emite Luz e muito conhecimento, tornar essa tecnologia um grande “Bem” à favor da nossa saúde.

Ref.Bibl:
1- Low level laser therapy against radiation induced oral mucositis in elderly head and neck cancer patients-a randomized placebo controlled trial. J Photochem Photobiol B. 2015 Mar;144:51-6.Gautam AP, Fernandes DJ
2- The effects of lw level laser irradiation on gingival inflamation.Photomed Laser surg.2010;28(1):69-74 Pejcic A, Kojovic D, Kesic L
3-1- Systematic review of laser and other light therapy for the management of oral mucositis in cancer patients. Support Care Cancer (2013) 21:333–341

Dra. Tatiana Franco
– Especialista em Periodontia-UFRJ  e Implantodontia – UNIGRANRIO
– Habilitada em Laser – LELO-USP/CFO
– Pós-Graduada em Odontologia Oncológica – Instituto de Pesquisa Sírio Libanês / SP
– Mestranda em Odontologia (Periodontia) – UVA/ RJ
– Membro efetivo da Sociedade Brasileira de Periodontia (SOBRAPE) e  World Federation for Lasers in Dentistry (WFLD)

* * * * * Fique por dentro e acompanhe nossa página no Facebookhttps://www.facebook.com/innovaraodontologia/?fref=ts 


laserterapia-1200x1200.png

fevereiro 9, 2018 Laserterapia

Continuando a falar sobre a importância da saúde bucal na manutenção da saúde global do indivíduo e acreditando tornar possível essa afirmativa através das inúmeras pesquisas e instituição de novas tecnologias, sinto-me uma entusiasta no que diz respeito ao uso do Laser de Baixa Potência na clínica diária, mas o artigo de hoje será relacionado ao controle e tratamento da Periodontite através da Terapia Fotodinâmica Antimicrobiana associada à terapia convencional.

Cada vez mais, as evidências científicas tem sugerido a associação da doença periodontal  com determinadas doenças sistêmicas como diabetes, doenças cardiovasculares, nascimento de bebês de baixo peso e parto prematuro, artrite reumatóide, doença renal crônica, câncer e outras.

A base para o tratamento das doenças periodontais é a supressão de microorganismos na microbiota subgengival através de métodos físicos(raspagem e alisamento radicular) ou químicos locais e sistêmicos( antissépticos ou antibióticos) ou a combinação deles. No entanto, esta terapia antimicrobiana não é isenta de efeitos colaterais, apresenta dificuldade em penetrar em biofilmes dentais(placas bacterianas)  podendo selecionar bactérias resistentes e  uma resposta ineficiente.

O uso indiscriminado de agentes antimicrobianos promove a seleção de bactérias resistentes e isso pode ser considerado como um dos maiores problemas  do século XXI. Assim, dentro deste cenário, surge a Terapia Fotodinâmica Antimicrobiana (aPDT), que é uma forma de fototerapia baseada na utilização de substâncias fotossensibilizadoras (corantes) nos tecidos biológicos, ativadas pela presença de luz e possibilitando a morte celular no tratamento de infecções localizadas.

Estudos clínicos tem demonstrado que a Terapia Fotodinâmica pode ser associada à terapia periodontal de raspagem e alisamento radicular com melhora clínica significativa, observando-se redução no índice de placa bacteriana, sangramento e profundidade à sondagem e podendo ser utilizada no controle da infecção como uma agente antimicrobiano local.Pode ser utilizada antes e também após a raspagem, contribuindo na redução de sítios com periodontite e trazendo benefícios principalmente à  pacientes especiais  que apresentam doenças sistêmicas.

Além disso, as pesquisas  tem  demonstrado que a luz laser vermelha, emitida na Terapia Fotodinâmica,  também possui  propriedades terapêuticas que podem modular o processo inflamatório da doença periodontal e o laser de baixa potência também pode proporcionar sobre os tecidos, efeitos analgésico, antiinflamatório, antiedematoso e cicatrizante, trazendo conforto e melhora na qualidade de vida do paciente.

A Terapia Fotodinâmica Antimicrobiana(aPDT) pode ser  considerada uma modalidade de tratamento altamente promissora e não invasiva, utilizada como coadjuvante à terapia convencional nas diversas áreas da odontologia, podendo trazer benefícios a todos os pacientes e principalmentes àqueles comprometidos sistemicamente.

Essa revolução na Odontologia não é para o futuro, acontece hoje no mundo inteiro e as infecções bucais estão cada vez mais se revelando como causadoras de outras enfermidades, nos obrigando ao aperfeiçoamento de novas técnicas para a realização periódica de descontaminação bucal. Embora alguns estudos apresentem a previsiblidade da técnica, mais evidências ainda são necessárias para confirmar a sua indicação na maioria dos casos.

Ref.Bibl.
Adjunctive Application of Antimicrobial Photodynamic Therapy in Nonsurgical Periodontal Treatment: A Review of Literature
Ing-ying Huang, Academic Editor   Int J Mol Sci. 2015 Nov; 16(11): 27327–27338.
The in Vitro Antimicrobial Efficacy of PDT against Periodontopathogenic Bacteria
Philippe A. Haag,1 Valerie Steiger-Ronay,2 and Patrick R. Schmidlin2,*
Michael R. Hamblin, Academic Editor and Ying-ying Huang, Academic Editor
Int J Mol Sci. 2015 Nov; 16(11): 27327–27338.

 

Dra. Tatiana Franco.

Especialista e Periodontia (UFRJ)e Implantodontia (UNIGRANRIO)

Habilitada em Laserterapia (USP/SP) e pós-graduada em Odontologia Oncológica (Instituto Sírio Libanês/SP)


laserbp.png

janeiro 17, 2018 Laserterapia

stress é hoje causa de muitas doenças e tem levado muita gente aos consultórios odontológicos.

No atual estilo de vida, diversas situações e estímulos são considerados fatores de stress, provocando respostas físicas e mentais que podem ou não ser toleradas pelo nosso organismo. Altos níveis de cortisol  –  hormônio produzido pelo corpo em níveis mais elevados durante momentos de stress –  podem inibir o sistema imunológico tornando-o mais susceptível ao aparecimento de várias manifestações bucais. Dentre as mais comuns, podemos citar: lesões de herpes e aftas recorrentes.

Estas manifestações bucais podem ser tratadas com Laser de Baixa Potência ou Laserterapia, sem efeitos colaterais. A luz Laser no tecido lesionado aumenta a microcirculação local e reestabelece a produção de ATP celular (energia), promovendo cicatrização, ação anti-inflamatória e analgesia no local da irradiação.  O tratamento é rápido, indolor e seguro.

Nos casos de lesões de herpes tipicamente desencadeadas pelo stress, a laserterapia pode evitar o surgimento das lesões quando realizada preventivamente ou na fase inicial, onde há coceira e vermelhidão. Nas fases de vesícula e casquinha, o laser acelera o ciclo da lesão, diminuindo o tempo de cicatrização.

Já nas aftas recorrentes, extremamente dolorosas e geralmente múltiplas, e embora sejam  de origem multifatorial, se intensificam em indivíduos mais estressados. A Laserterapia preventiva, através de protocolos que reforçam a imunidade local, podem reduzir ou inibir as lesões recorrentes mensais. Lesões aftosas esporádicas podem desaparecer entre 1 a 4 sessões de laserterapia, de acordo com o tamanho e a fase do ciclo que se encontram. Assim, logo após o tratamento, o paciente relata alívio imediato da dor, melhorando sua mastigação, deglutição e a fala.

E por que não utilizar a Luz Laser  a favor da sua saúde?

Dra. Tatiana Franco
Especialista em Periodontia e Implantodontia e Habilitada em Laserterapia.



Resp. Técnica: Dra. Tatiana Franco
CRO RJ 21630 | EPAO 369


Av. Armando Lombardi, 1000

Bl. 01 – Sls. 216 e 217
Barra Life Medical Center
Barra da Tijuca – CEP 22640-000
Rio de Janeiro-RJ


(21) 2486 3932 | 2143 0898
(21) 99965 0372

Não aceitamos Convênios


Fique por dentro das novidades da INNOVARA e cadastre-se agora!



Site desenvolvido por Agência Vulpix

WhatsApp chat