Innovara Odontologia Moderna

Meu Filho caiu e bateu os dentes: o que fazer agora?

          A INNOVARAKIDS em parceria com a revista Canguru, abordou um tema bastante interessante na edição de setembro, trazendo cuidados e dicas sobre traumatismo dentário na primeira infância.

Revista Canguru setembro 2017

 

          OS DENTES DECÍDUOS (de leite) e os tecidos ao seu redor podem sofrer traumatismo e essa é uma situação comum tanto nos primeiros anos de vida como na vida escolar. O primeiro episódio de traumatismo ocorre normalmente nos primeiros dois anos, quando a criança está aprendendo a andar e não apresenta coordenação motora que lhe permita movimentos seguros e precisos.Também são comuns os acidentes como queda do colo de adultos, do carrinho de bebê e de lugares altos. Durante a vida escolar das crianças os traumatismos são igualmente frequente ao participarem de brincadeiras e praticarem esportes.

          Existem vários tipos de traumatismo relacionados aos dentes de leite. Mesmo os mais simples podem acarretar consequências para o dente afetado e necessitar do tratamento de canal ou mesmo da extração. Para definir o melhor tratamento, o odontopediatra necessitará do exame clínico e radiográfico. As consequências também podem acontecer nos dentes permanentes, já que seus germes estão em estágio de formação e localizam-se próximos das raizes dos dentes de leite. As sequelas podem ocorrer a longo prazo e sua severidade dependerá do tipo de traumatismo e da idade da criança quando ele ocorreu.

          A prevenção do traumatismo inicia-se nos cuidados gerais com a criança, evitando que ela fique sozinha, que ande de meia, estabelecendo áreas da casa mais seguras, cobrindo os cantos dos móveis quando o bebê está aprendendo a andar, assim como mantendo-o em cadeiras apropriadas no automóvel. Os andadores devem ser evitados, pois caso ocorra uma queda, a sua projeção aumenta a força do impacto na boca e nos dentes. Já para as crianças em fase escolar, aconselha-se o uso de capacetes ao andarem de bicicleta, patins e skates e o uso de protetores bucais para aquelas que praticam esportes de contato.

          Se o acidente acontecer, tenha sempre o telefone do odontopediatra de sua confiança. Procure manter a calma e acalmar a criança. Limpe o rosto com água corrente para remover detritos. Avalie se as lesões na pele precisam de sutura (pontos) ou se a criança aprenseta vômito, desmaio ou convulsão: nesse caso é importante que ela se dirija ao médico. Caso contrário, procure o odontopediatra o mais rápido possivel, pois ele tem a técnica, habilidade e experiência para lidar com a situação de urgência, poderá realizar os procedimentos clinicos necessários e acompanhar o caso até o nascimento dos dentes permanentes. Vale lembrar que, se o próprio dente ou algum pedaço dele foi perdido durante o acidente, seja de leite ou permanente, é importante guarda-lo em um recipiente com água, soro ou leite e leva-lo ao seu dentista. Ele avaliará a possibilidade de us-lo ou não durante o tratamento.

Este artigo foi escrito por:

Daniele Cassol ( odontopediatra, ortodontista e professora, é mestre em odontopediatria pela UFRJ

Patricia Tannure ( odontopediatra e professora, doutora em odontopediatria pela UFRJ e mãe de dois meninos de 5 anos, Pedro e Eduardo, gêmeos bivitelinos.

Ambas atendem na Clinica INNOVARAKIDS.

 

Equipe INNOVARAKIDS.

 

A doença cárie e a higiene bucal dos bebês: respostas baseadas em evidência científica.

 

A cárie pode ser transmitida ao bebê?

A cárie dentária é uma doença multifatorial biofilme-açúcar dependente considerada um desequilíbrio conhecido como disbiose. Hoje em dia, a cárie, não é mais considerada uma doença infecciosa e transmissível. Na verdade, os hábitos de higiene e a dieta da família são incorporados na rotina da criança e estes fatores, sejam eles bons ou ruins, serão transmitidos. Por esse motivo, sabe-se que não faz sentido algum orientar mães que evitem o compartilhamento de utensílios com os bebês (testar a temperatura do alimento com a mesma colher) e que restrinjam afeto e carinho acreditando que a cárie será prevenida. O mais importante é transmitir ao bebê hábitos saudáveis, incentivar o consumo de alimentos naturais, e não fazer o uso do açúcar nos dois primeiros anos de vida, para que o seu desenvolvimento seja completo e pleno.


Então devo me preocupar o mais cedo possível em limpar a boca do bebê?

Não. Em bebês que ainda não têm dentes e que fazem uso do aleitamento materno, não há a necessidade de manusear e limpar dentro de sua boca. O uso de gaze, dedeiras, fraldas limpas e soluções líquidas para manusear a boca do bebê são desnecessários, uma vez que não há na literatura científica nenhuma evidência que suporte essa prática por parte do dentista ou do núcleo familiar.


Quando e como devo realizar a escovação dos dentes do meu bebê?

A higiene bucal deve ser realizada quando o primeiro dente do bebê irromper. O ideal é que seja realizada com a escova de dentes de cerdas macias e cabeça pequena, usando uma quantidade mínima(um grãozinho de arroz) de pasta de dentes fluoretada contendo flúor acima de 1000 ppm. Cremes dentais com menor concentração de flúor não possuem efeito preventivo nem terapêutico contra a cárie dentária.


Referências

Feldens, C.A. e Kramer, P.F. Cárie dentária na infância–Uma abordagem contemporânea. Ed. Santos. 2013.
Corrêa, M.S.N.P. Odontopediatria na primeira infância. Ed. Santos. 3ed. 2011.
Oliveira, B. H.; Santos, A. P. P.; Nadanovsky, P. Uso de dentifrícios fluoretados por pré-escolares: o que os pediatras precisam saber?  Residência Pediátrica 2012;2(2):12-9.


Equipe INNOVARAKIDS
Dra. Patrícia Tannure
Odontopediatra, Mestre e Doutora em Odontopediatria (UFRJ)
Prof. da UVA e SLM(RJ)

Acompanhe a Innovara: Facebook | Instagram | Site

INNOVARAKIDS participou do 26º Congresso Brasileiro de Odontopediatria, em Gramado/RS

Nos dias 01 a 03 desse mês, a Dra. Daniele Cassol Arruda participou do 26º Congresso Brasileiro de Odontopediatria que ocorreu em Gramado – RS.

Inúmeros pesquisadores consagrados na especialidade abordaram assuntos extremamente relevantes, através das melhores evidências científicas atuais. Foram discutidos temas como Odontologia materno-infantil, enfatizando os primeiros 1000 dias da criança; Odontologia minimamente invasiva; Oclusão, bruxismo e DTM ao alcance da Odontopediatria; Alterações estruturais do esmalte dentário; Traumatismo alvéolo-dentário na infância e reabilitação bucal em pacientes pediátricos; Terapia pulpar na dentição decídua, entre outros temas bastante significativos para o atendimento do paciente infantil.

O curso Master a respeito de cárie precoce da infância, que teve como palestrantes os renomados professores Saul Paiva (UFMG), Fausto Mendes (USP),  Jaime Cury (Unicamp) e Carlos Alberto Feldens (ULBRA), enfatizou os cuidados com a higiene e com a alimentação na infância; o diagnóstico e as mais indicadas decisões restauradoras; o uso de fluoretos no controle da doença e o impacto na qualidade de vida das crianças acometidas por essa condição. Após o curso, os palestrantes tiveram a oportunidade de discutirem entre si alguns tópicos bastante polêmicos como a ainda questionada cariogenicidade do leite materno versus a importância da amamentação, concluindo que, apesar de até o momento não haver evidência científica que comprove essa associação, o aleitamento materno deve ser instituído de forma racional: livre demanda nos primeiros seis meses de vida e complementar até os 24 meses de idade devido a diversas questões que envolvem não apenas a saúde bucal e geral do indivíduo, mas também o pleno desenvolvimento do sistema estomatognático.

O simpósio ministrado pelo professor Marcelo Bönecker (USP) que abordou as alterações estruturais de esmalte, chamou a atenção para a erosão dentária infantil, condição vista frequentemente na cavidade bucal das crianças, sendo a principal causa a ingestão de produtos ácidos. Alimentos que muitos pais acreditam serem inofensivos, como sucos artificiais e até mesmo alguns naturais, podem colaborar com a erosão ácida causando desgastes na estrutura do esmalte dentário. O simpósio também reiterou a nova recomendação da Associação Americana de Pediatria e da Sociedade Brasileira de Pediatria de oferecer sucos aos bebês apenas após o primeiro ano de vida. O ideal é que as frutas sejam ingeridas in natura, para que suas fibras e nutrientes sejam preservados e para que não ocorra um aumento rápido da glicose no sangue.

O próximo Congresso Brasileiro de Odontopediatria ocorrerá em 2019 e, com certeza, nossa equipe estará presente trazendo as melhores evidências e novidades! Até lá!

Dra. Daniele Cassol Arruda
Odontopediatra e Mestre em odontopediatria (UFRJ)

Acompanhe a Innovara: Facebook | Instagram | Site

INNOVARAKIDS e TRUPE: juntos pela saúde infantil

A Innovara se orgulha de mais uma parceria de sucesso para o desenvolvimento saudável das nossas crianças!

 

innovarakids-trupe

 

E a INNOVARAKIDS tem novidades para contar: somos parceiras da Trupe - Centro de Desenvolvimento Infantil, um espaço lúdico-pedagógico criado para oferecer atividades para bebês e crianças entre quatro meses e seis anos.

Nossa equipe trabalha sempre com informações baseadas em evidência e as odontopediatras Dra. Patricia Tannure e Dra. Daniele Cassol participaram de um bate-papo bem descontraído com os responsáveis das crianças, abordando temas como:

 

- a importância da saúde bucal

- o uso de chupetas

- o tipo ideal de pasta de dentes 

 

Equipe INNOVARAKIDS e TRUPE: juntos pela saúde infantil 

Dra. Tatiana Franco marca presença no XXVII CONBRAPE

Nos últimos dias 19 a 22 de abril, a Dra.Tatiana Franco esteve presente no XXVII CONBRAPE, importante Congresso da Sociedade Brasileira de Periodontologia, realizado em São Paulo.

 

Diversos temas foram debatidos por renomados professores nacionais e internacionais, que abordaram as estratégias terapêuticas atuais no manejo da doença periodontal e peri-implantar.

A palestra internacional ministrada pelo Prof. Dr. Daniele Cartaroli (Italia), que discutiu os procedimentos de reconstruções ósseas verticais e manipulação de tecidos moles, trouxe as melhores evidências científicas para o futuro da implantodontia. O uso de Biomateriais na Regeneração em Periodontia e Implantodontia e a previsibilidade dos procedimentos foram também abordados pelos palestrantes.

O que se sabe hoje é que há evidências científicas suficientes para se indicar técnicas de enxertia para o recobrimento radicular em retrações gengivais, demonstradas através de importantes trabalhos em Cirurgia Plástica perio-implantar, incluindo a microcirurgia com a utilização de microscópio operatório.

Foram apresentadas também importantes revisões sistemáticas relacionando a associação da Periodontite com diversas doenças sistêmicas como Diabetes, Doenças Cardiovasculares, Doenças Renais Crônicas, Nascimento de bebês de baixo peso e parto prematuro, etc. O tratamento periodontal influenciou o controle glicêmico dos diabéticos, reduzindo os índices de hemoglobina glicadac(Hba1c) em 0,29% nos 3-4 meses, diminuiu os níveis de marcadores inflamatórios e melhorou a função endotelial, renal e os marcadores cardiológicos.

A terapia com implantes pode ser realizada em pacientes diabéticos, mas estes apresentam um risco 50% maior de desenvolverem peri-implantite quando comparados aos não diabéticos.

Assim, a prevenção e o tratamento das doenças periodontais e peri-implantares continuam sendo desafios permanentes e de grande complexidade em ambas as especialidades: Periodontia e Implantodontia.

Daqui a dois anos tem mais e será no Rio de Janeiro!

Até mais,

Equipe INNOVARA.

Resp. Técnica: Dra. Tatiana Franco | CRO RJ 21630 | EPAO 3695

Altera Centro de Inteligência em Serviços